sábado, 17 de novembro de 2012

Dolores e o grilo Cricri



A formiga Dolores adorava dançar, mesmo quando estava trabalhando. Sempre feliz, com um sorriso de orelha a orelha, enquanto em suas costas carregava altos fardos de gravetos e folhas de árvores e tudo que podia armazenar.
Seus pés, leves feitos pétalas de rosas ao vento não paravam de bailar, sempre nas pontas dos pés desempenhava suas tarefas com passos de balé arrancando aplausos dos colegas. Dolores graciosamente agradecia os aplausos e continuava com suas tarefas.
Todos no formigueiro tinham uma conta de trabalho a cumprir e a presença de Dolores com seu porte elegante espalhava alegria por onde passava, deixando o clima de trabalho mais suave, mais festivo, porém tinha alguém que não estava gostando nada da concorrência, era o grilo Cricri que passava os dias cantando embaixo de uma árvore frondosa, enquanto as formigas ralavam no pesado. O grilo Cricri que levava a vida numa boa começava a olhar a formiguinha Dolores com desconfiança, achando que ela queria roubar o seu lugar, temia que as formigas não o alimentassem mais e pior, o expulsasse do formigueiro, pois agora tinha Dolores para animá-los nas noites frias de invernos, no entanto a formiguinha estava tão feliz que no seu coração não tinha espaço para mesquinharia.
O grilo Cricri andava calado, triste pelos cantos e foi a própria Dolores que estranhou.
__ O que está acontecendo com o senhor seu Cricri, porque não canta mais? Está doente?
__ Pra que? Agora todos no formigueiro só têm olhos pra você! Responde o grilo com desdém.
__ Ora seu Cricri, vai-me dizer que está com ciúmes?
__ Ciúmes de uma coisinha à toa como você menina? KKKKKKKK faz-me rir, cresça e apareça. O problema que antes, o único artista daqui era eu, agora você fica ai dançando na ponta dos pés, fazendo piruetas, levantando as pernas no ar, quem é que vai querer ouvir a cantoria de um velho grilo! Você ferrou comigo menina, ninguém liga mais pra mim! Logo vou pra rua da amargura.
Dolores fica um tempo pensativa ouvindo o grilo choramingar. Logo volta sua alegria costumeira se pondo na ponta dos pés dançando a morte do cisne.
__ Viu como você é, nem liga pra minha tristeza, olha pra mim, magro faz tempo que não como! Logo vou por minha banda pra tocar em outro lugar, sem lenço, nem documentos, nada no bolso ou nas mãos.
__ Hi senhor Cricri, pode parar com esse melodrama, cresci ouvindo o senhor cantando essa música do Caetano Veloso, sugiro fazermos uma parceria, o senhor toca e eu danço, o sol nasce para todos. O mundo é um palco com espaço para todos brilharem, só é preciso saber aproveitar o foco.
__ Sabe que você pode estar com a razão Dolores, estou velho, mas ainda em foco, se o sol brilha para todos temos mais que aproveitar essa luz.
__ Isso mesmo senhor Cricri, talento não tem idade, vamos fazer um show que esse formigueiro nunca mais vai esquecer.
 Então a dupla foi formada fazendo um estrondoso sucesso, o grilo todo orgulhoso tocava e cantava enquanto a formiga Dolores bailava feito uma pluma, deslizando majestosamente fazendo o formigueiro sonhar.
E assim a formiga Dolores mostrou ao grilo que a união faz a diferença, em vez de cultivar o sentimento da inveja e dos ciúmes, aprenda a juntar as forças pra doar o melhor que existe dentro de si.
                

                    Dilma Lourenço Moreira

Um comentário:

  1. Olá queria convidar voce para conhecer o programa de afiliados que eu participo ele paga 50% de comissoes acesse:http://www.kitganhedinheiro.net/?16780

    ResponderExcluir

Meu amigos no diHITT

Loading...