quarta-feira, 20 de abril de 2011

O vaga-lume e o Besouro




O vaga-lume todo orgulhoso da luz que produzia, sobrevoava pela mata feliz, quando encontra com um besouro que descansava em uma folha.

__ Que vida difícil deve ser a sua, seu besouro? Perguntou o vaga-lume.

__ Por que o senhor acha isso, seu vaga-lume?

__ Olha só pra mim? Produzo a minha própria luz! Posso viajar tranquilamente pelo escuro sem medo de bater o meu nariz em uma árvore, agora, no seu caso, quando a noite cai fica impossibilitado de voar, ficando entocado em seu canto!

__ É, seu vaga-lume! O senhor tem toda razão! Eu não tive a mesma sorte que o senhor! Não tenho luz própria, mas também não sou alvo dos predadores. Quando anoitece eu fico bem escondidinho em minha toca, procuro ficar longe dos insetos maiores que querem me devorar, agora, no seu caso passa a ser um alvo certo para os predadores, que saem a noite devorando aos montes, os vaga-lumes!

__ O senhor está falando isso seu besouro, porque tem inveja da minha luz, precisa ficar sempre escondido aí em sua toca, enquanto eu fico aqui no alto sobrevoando a mata tranquilamente, longe dos insetos rasteiros!

__ Sorte sua seu vaga-lume, que tem esse dom! Pode até enxergar o inimigo a milhares de quilômetros, em compensação o senhor com esse brilho todo é alvo de muitos inimigos, eu como não tenho esse dom, me protejo em minha toca!

Mal o besouro termina esta frase, quando assiste com pesar, o vaga-lume orgulhoso ser devorado por seus predadores. O seu besouro já acostumado a ver aquela cena por diversas vezes, fica um tempo pensativo.

E do alto de sua experiência, diz:

__ Todo dom adquirido precisa ser bem usado, senão se torna uma armadilha aguçando o ego do indivíduo, levando esse a um fim trágico!

__ Que pena, seu vaga-lume!




Dilma Lourenço Moreira


4 comentários:

  1. Uma história breve, gostosa de se ler e tão sábia!!!
    Adorável.
    Um grande abraço, querida!


    Devemos além de exercitar nossos dons, saber que cada qual foi feito a sua maneira e por isso todo ser é ímpar, mas não mais e nem menos que ninguém

    ResponderExcluir
  2. Muito boa essa historia lembrei de um versículo em Provérbios 16:18 que diz:
    A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito precede a queda. Provérbios

    Valeu por partilhar!

    Uma boa noite

    ResponderExcluir
  3. Bonita fábula, Dilma!
    A vaidade pode cegar o mais brilhante dos pirilampos.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  4. Querida Dilma,

    Todo dom deve ser lapidado para que sempre haja o equilíbrio de que o tem,para que não faça o uso contrário do que esse dom é para ser.

    Um Abraço

    ResponderExcluir

Meu amigos no diHITT

Loading...