terça-feira, 22 de março de 2011

A tartaruga rabugenta




Geni é uma tartaruga que reclama de tudo.
Se chovia!

__ Como chove nessa terra! Eu não sei pra que tanta chuva! São Pedro está querendo afogar a gente! Vê se fecha esta torneira ai, São Pedro. Ninguém agüenta tanta água!

Se fazia sol!

__ Mas que sol quente, é esse? Está querendo fritar a gente? Calma aí senhor sol! Mais um pouco e vai derreter o mundo!

Se fazia frio!

__ Ai! Ai! Minha carcaça está congelando! Não vejo à hora do tempo esquentar!

De longe se avista o jabuti, que vem se aproximando de mancinho.

__ Oi Geni, como vai essa força?

__ Não estou bem não, seu jabuti. Esta friagem está me matando!

__ Não liga para ela não, seu jabuti. Tempo nenhum é bom pra Geni!

Dona sapa se intromete na conversa.

__ Há, dona sapa. Não seja injusta, pra gostar desse tempo frio tem que ser masoquista.

A sapa rebate tentando fazer a tartaruga entender que todas as estações são importantes.

__ Geni, é preciso ter paciência com a natureza! Também precisamos da chuva que rega a terra, do sol que nos aquece e até mesmo do frio que nos faz procurar aconchego. Esse é um bom momento pra reflexão, reunir a família, compartilhar com nossos entes queridos, os nossos sucessos, as nossas alegrias e até mesmo os nossos problemas, e por que não?

A tartaruga Geni já enfezada com toda aquela falação, responde pra a sapa, indignada:

__ E o que eu ganho enchendo a minha casa com familiares?

__ A senhora, dona tartaruga, não estava se queixando do frio? Reunir a família vai encher sua casa de calor afetivo. Temos que aproveitar as oportunidades que a vida nos oferece e não ficar perdendo tempo reclamando com coisa que não são da nossa ossada. Esse é um fator da natureza que temos que respeitar, e mais, dona tartaruga, é preciso agradecer a beleza que está em nossa volta, tudo isso nos foi doado pelo autor da vida, que é Deus. Desfrute de toda essa beleza que está diante de nossos olhos e aprenda a dar graças ao nosso benfeitor maior. Desculpe-me, dona tartaruga falar com a senhora dessa maneira, mas uma coisa que me tira do serio, são pessoas mal agradecidas.

Dona tartaruga olhou bem nos olhos de dona sapa, o jabuti até se afastou diante do olhar nervoso da tartaruga Geni.

__ Geni, não fica brava comigo! Pediu a sapa, sentindo o clima dos nervos da tartaruga esquentar.

__ Está tudo bem, dona sapa! A senhora tem toda razão! Eu que tenho que me corrigir, ficar reclamando de tudo o tempo todo realmente se torna chato, o defeito está dentro de mim, não na natureza. É que eu já estou velha, cheia de dores, por isso estou sempre infeliz.

Dona sapa torna a falar:

__ É infeliz porque quer. Está sentindo dores, vá ao médico, vá se tratar. A felicidade está ao alcance de todos, mas primeiro é preciso à gente se amar, é o que eu acho que está faltando pra senhora, minha amiga! Olha a sua volta! Como pode alguém ser infeliz vivendo em meio de toda essa beleza.

__ É, dona sapa, a senhora está com a razão! A amargura está dentro de mim, mas nem por isso tenho o direito de encher os ouvidos dos amigos com as minhas rabugices, nem eu mesmo tinha percebido o quanto estava sendo desagradável.

__ Pois é, amiga Geni. Tem gente que se acostuma a reclamar da vida e esquece-se de agradecer a própria vida. Finalizou o seu jabuti.



Dilma Lourenço Moreira




7 comentários:

  1. Muito bom, peço permissão para copiar e guardar para que meu filho e minha sobrinha venham ler depois.
    Boas dicas estão aqui.
    Muito bom mesmo.
    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Acho que eu devo ser uma tartaruga humana - sem ofensas às tartarugas. Está explicado o porquê de ninguém ler minhas crônicas.

    ResponderExcluir
  3. Olá Dilma!

    Parabéns pelo maravilhoso conto! É de grande sabedoria e de uma forma agradável que coopera na conscientização de forma divertida e alegre, são sempre palavras que ensinam e contribuem para o progresso e desenvolvimento humano!

    Um abraço,
    "Todo o Conhecimento é Luz que Inspira a Alma" -*Vera Luz*-

    ResponderExcluir
  4. Querida Dilma,

    Quando vivemos reclamando esquecemos de aproveitar as oportunidades que estão bem aí em nossa frente. A primeira mudança parte de nós.

    Um Abraço

    ResponderExcluir
  5. E quantas tartarugas existem nas peles dos HOMENS!!
    Uma bela história que retrata muito de nossas vidas em certos momentos.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Adorei o texto, concordo plenamente com ele :D
    Escreves muito bem ^^
    Ah... estou seguindo o blog!
    E coloquei seu banner no meu também
    valeu mesmo pelo apoio ^^

    ResponderExcluir
  7. Isso me lembra algumas pessoas que conheço... heheheheh gostei da história!

    ResponderExcluir

Meu amigos no diHITT

Loading...