quarta-feira, 30 de março de 2011

O coelho malandrinho





Tico é o coelho mais veloz do bosque.

Ninguém consegue vencê-lo. Alguns já tentaram. O macaco, o leão, o tigre, a raposa e todos, Tico deixou comendo poeira até que apareceu no bosque a tartaruga Cacau, que se dizia muito ligeira. Cansada de ouvir Tico contar vantagens resolveu enfrentá-lo.

Tico caiu na gargalhada diante deste convite inusitado.

__ Há, Há, Há! Dona tartaruga, pra mim fica até chato competir com a senhora!

__ E porque não, Tico! Você vive se queixando que não tem desafiante pra você aqui na mata! Tai, eu me ofereço a correr com você!

Tico rolava no chão de tanto rir.

__ Há, Há, Há! É melhor deixar quieto, dona Cacau! A senhora nunca vai me vencer! Só o que me faltava, perder para uma tartaruga cinquentona como a senhora!

__ O que é Tico! Está amarelando? Onde está o coelho autoconfiante, orgulhoso de sua velocidade?

__ Dona tartaruga, não estou entendendo aonde a senhora quer chegar?

__ Tico, você pode ter a juventude e a rapidez, mas eu tenho a experiência de vida, do meu lado.

Tornou Tico mais uma vez zombando da adversária.

__ Há, Há, Há! Dona tartaruga a senhora deve estar de brincadeira comigo!

__ Não estou não, quando você estiver pronto, você me avisa filho!

A bicharada ficou em total alvoroço diante da expectativa.

Tico desabafa com a formiga:

__ Tem graça dona formiga, eu entrar em competição com uma tartaruga velha, como a dona Cacau!

Foi a formiguinha Janaina que respondeu:

__ O que há, Tico. Está com medo da dona tartaruga?

__ Não é nada disso, menina! É que ela está muito velha pra competição! Que graça vai ter eu ganhar dela?

__ A graça, respondeu a forminha Janaina, é que se você perder pra tartaruga Cacau, você vai ficar desmoralizado! Eu acho que você está é com medo de perder!

Retrucou a formiguinha Janaina, provocando Tico.

__ Não estou com medo! Só não estou vendo vantagens em desafiar uma tartaruga velha! Eu não quero entrar nessa competição, justamente porque tenho certeza que vou ganhar disparado essa corrida.

A dona tartaruga ouviu o dialogo e ficou muito furiosa.

__ A menina Janaina tem razão, você está morrendo de medo de perder para uma velha tartaruga! Como é Tico? Vai continuar fugindo, está com medo de comer poeiras?

__ Há, Há, Há! Eu comer poeira da senhora, que piada!

A bicharada se alvoroçou e se dividiram em grupos começando as apostas, sendo assim Tico não teve alternativa, a não ser aceitar o desafio de dona tartaruga.

No dia marcado lá estava Tico e a tartaruga Cacau na faixa de saída.

Tico ria muito de dona tartaruga.

__ Há, Há, Há! Então dona Cacau, a senhora acha mesmo que vai me vencer?

A velha tartaruga com a sua experiência nada disse, apenas desejou boa sorte para Tico.

Esse deu de ombro desdenhando a sua adversária.

E assim a corrida começou. Tico em um arrancão foi parar a quilômetros de dona Tartaruga.

Lógico que Tico seria o vencedor na primeira arrancada, se no meio da estrada não tivesse encontrado uma linda coelhinha que desviou Tico da estrada de competição. Enquanto isso a dona tartaruga avançava lentamente para a faixa de chegada. Tico muito esperto depois de dar uma namoradinha pega a dianteira atravessando em um piscar de olhos a linha de chegada, não satisfeito com a vitória tira onda da cara de dona tartaruga.

__ Há, Há, Há! Eu não disse que aqui no bosque não tem páreo para mim?

__ Você tem toda razão, Tico! Disse a velha tartaruga, ainda a caminho da faixa de chegada. Você é mesmo um herói que pode ter me vencido em velocidade, mas eu ganhei em experiência.

__ Experiência eu ainda não tenho, mas isso o tempo vai me trazer.

__ Não sei não, Tico! A experiência se adquire ao longo de nossas vidas, porém você anda tão velozmente que deixa de ver os acontecimentos a sua volta, deixando de ganhar experiência, ou seja, deixando de aprender.

__ Como assim, dona tartaruga?

__ Tico, você estava tão preocupado com a linha de chegada.

Continuou a tartaruga tentando responder as perguntas do coelho, altivo:

__ Não sei se você percebeu que no começo da estrada tinha uma família de ovelhas famintas, o que eu parei e lhe dei auxílio tirando de baixo do meu casco um pouco de alfafas fresquinha, mais adiante tinha uma perereca enganchada em cipós, parei e a salvei do emaranhado. Quase aqui na chegada tinha um filhote de zebra que tinha caído na armadilha de um caçador malvado, parei e desmontei a armadilha salvando o animalzinho, você também viu isso, Tico?

__ Não, dona tartaruga! Por onde eu passava levantava poeira, dessa forma a minha visão ficava prejudicada.

__ É justamente isso que eu quero dizer! Tem gente que atravessa a vida sem aprender nada, porque só se preocupa com si próprio. O troféu que você ganhou é brilhante, é bonito, mas é apenas um objeto material que nada vai lhe acrescentar como pessoa. Eu não ganhei troféu e nem fui campeã, no entanto estou feliz por ter sido útil a alguém.

__ Então Tico! Nesta competição quem foi o vitorioso? Eu ou você?

Tico abaixa a cabeça, envergonhado, dando à mão a palmatória.

A dona tartaruga não deixava de ter razão.

Do que vale a competição, se não for em prol do próximo!



Dilma Lourenço Moreira

5 comentários:

  1. Olá Dilma!

    A pressa faz parte da ansiedade que é gerada na fuga para alcançar os 'troféus' aparentes na vida, onde o interior torna-se vazio, sem sentido real na vida, que com o tempo faz toda a diferença, pois curtir o caminho é o melhor que se pode fazer. Assim como já escrevi em um texto no Inspira Alma, Deus nos deu a passagem, cabe a nós fazer o melhor para aproveitar o caminho e a paisagem!

    Um abraço,
    "Todo o Conhecimento é Luz que Inspira a Alma" -*Vera Luz*-

    ResponderExcluir
  2. Olá querida Dilma!
    Que história comovente amiga,a tartaruga tem meu apelido,rsrsrs.Achei linda a história e verdadeira o que adianta a pressa se não conseguimos olhar para quem esta ao nosso lado,precisando de ajuda.Só vale a pena nessa vida é passar por ela com calma e assim poder aproveitar cada brisa,cada flor,cada pessoa que se puser em nossos caminhos.
    A vida só vale se pudermos ser mais humanos ou Anjo na vida de alguém. Parabéns amiga,linda,linda!!
    Bjos em seu coração com cheirinho de Jasmin.

    ResponderExcluir
  3. É REALMENTE UMA HISTÓRIA MUITO BONITA E INTERESSANTE GOSTEI,VOU DIVULGAR SERVE PARA AS PESSOAS REFLETIR UM POUCO. ISAEL

    ResponderExcluir
  4. Olá, um grande abraço...
    Esse conto é muito interessante, nos ensina uma liação de uma maestria intensa, a bem da verdade ocorre dessa forma, trago como uma projeção, prinvipalmente para os dias odiernos, não sei se os amados concocrdam, mas não se fazem "pessoas" como não muito antigamente...

    Obrigado pela indicação e felicidade...

    ResponderExcluir
  5. Eu sempre achei um tanto chato ler as fábulas dos livros de escola; agora o jeito que você conta, minha Dilma, é fantástico. Estou começando a gostar dessa temática.
    Muito boa!

    ResponderExcluir

Meu amigos no diHITT

Loading...