quarta-feira, 29 de setembro de 2010

O ursinho mentiroso




João era um ursinho que gostava muito de fantasiar as coisas, às vezes saia da fantasia e caia na mentira e nem se dava conta da enrascada que estava se metendo.

Certo dia, estava o ursinho João fazendo compras em um supermercado da cidade com a mãe, de repente João começa a imaginar que está acontecendo um assalto no supermercado, João fingindo ter olhos de raios-X se pôs a examinar as pessoas a sua volta minuciosamente, de olhos arregalados não deixava escapar um, todos que chegavam por ali, para João era um suspeito, até que surgiu em sua frente um senhor vestido com um sobretudo preto, óculos escuros e na cabeça um chapelão que cobria parte de seu rosto.

João de olhos esbugalhados começou a gritar:

___ É ele, é ele!

___ O que é isso, filho? Perguntou dona Ursa assustada com os gritos do filhote.

___ Mamãe, mamãe, aquele homem ali é um assaltante!

___ Fica quieto filho! Está todo mundo olhando prá gente!

Mas João não parava de gritar.

___ Pega ladrão, pega ladrão!

Não demorou muito, João e a mãe foram convidados a comparecer na sala do segurança.

O ursinho João estava indignado!

___ Vocês estão ficando loucos? O bandido não sou eu e muito menos a minha mãe, é aquele homem de capote e chapéu preto que vai ali, ele está fugindo, peguem ele! Gritava o ursinho João, histérico.

O chefe da segurança, um senhor bonachão, olhando fixo nos olhos do ursinho pergunta para ele.

___ Por que você acha que aquele homem seria um assaltante? Você viu se ele tinha uma arma?

___ É isso mesmo, seu guarda! Mentiu o ursinho, para dar mais crédito no que falava ao chefe da segurança.

___ Eu vi a arma enorme que ele carregava na cintura e também tem facas escondidas nas botas!

___ Você tem certeza disso, ursinho? Perguntava o segurança suando de nervoso, vigiando o homem de capote e chapelão através do circuito fechado, andando tranquilamente nos corredores do supermercado.

___ Claro seu guarda, o homem é perigoso! É melhor o senhor pedir reforço. Sugere o ursinho, pondo pilha no chefe da guarda.

E foi isso que o chefe da segurança fez.

Não demorou muito, na frente do supermercado estava cercados com policiais da Rota, atiradores de elite, todos a postos atentos ao menor sinal de agressividade do suposto assaltante, as câmaras estavam todas voltadas para o homem de capote e chapelão preto, esse passa pelo caixa tranquilamente, paga suas compras saindo pela porta automática do supermercado sem perceber que aquela movimentação que se formara no estacionamento do supermercado, seria por causa dele.

O homem de capote e chapelão preto foi cercado pelos policiais, que o revistaram e constataram que não havia nenhuma arma com ele e nada tinha de perigoso, ao contrário, perante a documentação apresentada tratava-se de um homem humilde, um verdadeiro cidadão honesto.

O chefe da guarda depois de levar uma tremenda bronca de seus superiores chamou o ursinho João em sua sala para que se explicasse, afinal tinha vindo policiais até de outras cidades e tudo não passou de um alarme falso!

O ursinho, muito esperto tentou se safar.

___ Seu guarda, o homem é malandro! Quando se viu cercado pela polícia deu uma de cidadão honesto, escondendo as armas entre as mercadorias do supermercado.

O chefe da guarda estava nervoso e envergonhado diante dos colegas de profissão.

Enquanto o cidadão era humilhado, sendo revistado diante de seus vizinhos e amigos, pois se tratava de um morador do bairro, a outra metade dos policiais davam uma busca dentro do supermercado a procura das tais armas que o usinho disse ter visto. Como nada encontraram constataram os policiais que o homem de capote e chapelão preto não passou de uma vítima, sem ele mesmo perceber foi perseguido entre os corredores do supermercado pelos seguranças prontos a dar ordem de prisão a qualquer movimento em falso que este viesse a fazer.

O ursinho João levou uma tremenda repreensão dos policiais, por ter causado tamanha confusão por conta de suas mentiras.

___ O que você fez foi muito feio! Gritava um dos policiais no ouvido do ursinho, que tremia de medo. Fez um homem correto, um homem honesto se passar por um assaltante, esse cidadão foi humilhado perante toda a sociedade, os policiais deixaram de fazer os seus trabalhos para atender um chamado falso, mentiroso e agora seu ursinho João, o que você tem a dizer em sua defesa?

___ Me desculpe, senhores policiais! A verdade é que eu me assustei com a figura dele e achei que por traz daquela cara feia só podia estar escondido um bandido, um ladrão e por isso inventei aquela história que ele estava armado!

___ Agora você aprendeu que não pode julgar os outros pela aparência? Que agindo dessa forma você pode comprometer pessoas inocentes e até complicar suas vidas com suas mentiras?

O ursinho de cabeça baixa chorava envergonhado.

O chefe da guarda penalizado diante das lágrimas do ursinho pede que ele volte para sua casa, depois de fazê-lo prometer que nunca mais ia comprometer ninguém com suas mentiras.

Na saída do supermercado ainda ganha uns bons puxões de orelhas de dona Ursa, para aprender a se comportar.

Desse dia em diante o ursinho João passou a controlar o impulso de mentir, para nunca mais complicar a vida de ninguém.       

  


Dilma Lourenço Moreira


            



            

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Meu amigos no diHITT

Loading...