sábado, 2 de março de 2013

A sapa e o filhote peludo



A sapa Mamusca estava esperando a visita da cegonha. Ansiosa ia toda hora na soleira da porta esperando encontrar uma cesta carregadinha de girinos, até que ouve o barulho da sineta no portão, Mamusca feliz corre para atender e para sua surpresa havia na cesta um lindo gatinho com um laço de fita vermelha amarrado no pescoço.
__ O que é isso cegonha, enlouqueceu? Onde estão os meus girinos?
A cegonha, visivelmente bêbada diz cambaleando tentando se manter em pé.
__ Tai senhora os seus girinos, não reconhece os próprios filhos?
Mamusca revoltada liga no celular do senhor sapão, o marido desesperado vem ao encontro da esposa.
__ Olha só pra isso, querido? A cegonha além de estar bêbada também é cega pra confundir gato com girinos.
__ Relaxa Mamusca, já passei na agência das cegonhas registrando o caso.
Não demora muito está de volta a cegonha pedindo mil desculpas pelo engano.
__ Perdão Mamusca, nessa época do ano é tanto trabalho que estou ficando de miolos moles, fico com os nervos a flor da pele cada vez que erro de endereço, aqui está a sua cesta de girinos, agora o problema que não consigo achar a mãe desse gatinho.
O senhor sapão vai logo dispensando a cegonha.
__ Isso não é problema nosso, leva ele lá pra agência até a mãe dele aparecer, nós somos aquáticos e que eu saiba gatos não são muito fãs de água.
Porém, a sapa Mamusca com o coração mole, penalizada com a situação do gatinho, diz:
__ Amor, olha a carinha triste dele? Você vai ter coragem de largar esse pobre filhote sozinho em uma agência fria?
O sapão fingindo ignorar o olhar penoso do felino, diz se fazendo de forte.
__ E o que nós temos a ver com isso, a cegonha enche a cara e nós que ficamos com o prejuízo?
__ Eu não estou bêbada, Iac, apenas um pouco estressada.
__ Querido! Por favor, deixa-o ficar só até encontrarem a mãezinha dele!
__ Está bem Mamusca, você e o seu coração mole, mas só até a mãe dele aparecer!
__ Não se preocupe compadre sapão, assim que localizar a mãe do gatinho virei buscá-lo. Diz a cegonha já levantando voo com um filhote de canguru no bico.
Sendo assim, a família de sapos se ajeitaram como puderam na beira da lagoa tendo o filhote de gato ao seu alcance, porém o tempo foi passando e nada da cegonha aparecer pra levar o filhote embora.
Os girinos chamavam o irmão peludo de Atchim, porque estava sempre espirrando quando entrava em contato com a água, mas o filhote peludo a exemplos dos irmãos girinos foi se acostumando com a água, se tornando um excelente nadador. Mamãe e papai sapos morriam de orgulho do filhote peludo, até que certo dia alguém bate na porta da casa dos sapos, era a cegonha estabanada, como sempre com o bico carregado de filhotes. Mamãe Mamusca quase morreu do coração, achando que ela ia levar o seu filhote peludo embora.
__ Comadre cegonha, a senhora por aqui?
__ Sim comadre Mamusca! Dei uma passadinha aqui para dar uma satisfação à senhora e ao seu marido, sei que estou em falta com vocês e peço mil desculpas, mas infelizmente ainda não consegui localizar a família do filhote de gato que deixei aqui com vocês, mas posso levá-lo agora mesmo para um abrigo. Lá tem sempre uma alma caridosa que cuida de animais abandonados.
__ Não se incomode com isso comadre cegonha, o Atchim, quer dizer o filhote peludo pode muito bem passar mais um tempo aqui com a gente. Respondeu o sapão apreensivo agradecendo a preocupação da cegonha.
__ É que vocês disseram que não podiam ficar com ele! Mamusca respondeu sorrindo, olhando com carinho para o filhote peludo.
__ Agora é tarde demais, já nos apaixonamos por ele, Atchim é parte de nossa família, é nosso filho como os outros.
__ Sendo assim fico mais tranquila, então vocês não vão se incomodar se caso a mãe do peludo não aparecer? Falo isso porque não é raro filhotes serem abandonados na agência, os pais fazem a encomenda, mas depois se arrependem e desaparecem sem deixar rastro.
 Dona Mamusca com os olhos cheios de lagrimas segurando firme a mão do senhor sapão, diz emocionada:
__ Comadre cegonha! Sei que o nosso peludo tem todo o direito de conhecer seus pais biológicos, mas enquanto esses não se apresentarem, aqui é a sua casa!
A cegonha também emocionada, responde:
__ Vocês não sabem a felicidade que sinto em ouvir isso, Deus os abençoe nessa empreitada.
Nisso, mais um tempo se passou com girinos e peludo crescendo juntos, completando a felicidade do casal, quando certo dia em uma bela tarde, enquanto a família se divertia refrescando-se na lagoa recebem a visita de uma gata com ar petulante olhando tudo a sua volta com desdém e vai logo dizendo:
 __ Estou aqui através da agência de cegonhas, vim buscar o meu filhote!
Mamãe Mamusca pulou na frente da gata, de olhos esbugalhados.
__ Seu filhote!!!
 __ Isso mesmo, me informei na agência e eles garantiram que o meu bebê está aqui com vocês, tive que fazer uma viagem de emergência e só agora pude voltar.
 Desse momento em diante a tristeza foi geral. Peludo abraçado aos irmãos girinos chorava em um canto. A gata não pensou duas vezes, pegou na pata de peludo e saiu o arrastando, se não fosse papai sapo barrar sua passagem.
__ Alto lá, madame! Como podemos ter certeza que a senhora é a mãe desse filhote?
__ Basta olhar para mim e olhar para ele, o meu pimpolho não é a minha cara?
__ Sinto discordar, nem tudo que está na cara é o real. Fala o sapão, vermelho de raiva segurando a outra pata do filhote peludo.
__ Preciso que a madame me dê uma prova maior, como  realmente esse filhote é seu, caso contrário vai ter que passar primeiro por cima de mim pra levar o nosso filho daqui de casa!
__ O quê? Nosso filho! Gargalha a gata, na cara do sapão.
Mamusca, ao lado do sapão enfrenta a gata atrevida.
__ Nosso filho sim, fomos nós que o criamos, enquanto que a senhora corria o mundo sem se importar com a existência do filhote, agora ele têm uma família que o ama.
O que a gata responde, desafiadora:
__ O fato é que eu continuo sendo a mãe dele! Segundo informação da agência eles deixaram o meu filhote com vocês até eu voltar de viagem, agora eu voltei, portanto vou levar o meu bebê comigo, queira vocês ou não. Sentenciou a gata arrastando o pobre do peludo em rumo à porta.
Nisso, chega à cegonha.
__ Olha ai a causadora dessa confusão toda. Grita a gata com o dedo em risca apontando pra cegonha.
__ Se ela tivesse levado o meu filhote para a agência quando não me encontrou, nada disso estaria acontecendo.
__ E ai mais uma vez o seu golpe daria certo não é mesmo dona Verusca. Diz a cegonha se dirigindo a gata espertalhona.
__ Bebeu outra vez, cegonha? Não sei do que está falando!
__ Não se faça de tonta gata ordinária, levantamos sua ficha na agência e descobrimos que a senhora não passa de uma vigarista.
  Os casais de sapos ficam indignados diante da acusação.
__ É isso mesmo, fiquem sabendo que a dona Verusca tem o péssimo hábito de comercializar os seus filhotes vendendo os pobrezinhos, é assim que paga viagens caríssimas de navios em excursões pela Europa, sendo assim ela perdeu a guarda desse filhote. Diz a cegonha entregando um documento nas mãos do casal de sapos.
__ O Juiz concedeu a guarda definitiva do filhote peludo para o senhor sapão e a senhora Mamusca.
Papai sapão e mamãe Mamusca e os girinos se abraçaram emocionados, o filhote peludo se juntou a família com a certeza que aquele seria para sempre o seu lar.
A gata foi embora chutando as pedras da rua, de ódio, dura, sem nenhum tostão, decepcionada por ver seu plano cair por terra.

                                               Dilma Lourenço Moreira 

6 comentários:

  1. Ao passar pela net encontrei o seu blog, estive a ler algumas coisas e posso dizer que é um blog fantástico,
    com um bom conteúdo, dou-lhe os meus parabéns.
    Se desejar fazer parte de meus amigos virtuais esteja à vontade, decerto que irei retribuir seguindo também o seu blog.
    Sou António Batalha, do Peregrino E Servo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Antonio, grata pelo comentário e pela visita.
      Volte sempre.

      Dilma

      Excluir
    2. Antonio, visitei seus 2 blogs, muito lindo, adorei e já estou fazendo parte deles.

      Abraços

      Dilma

      Excluir
  2. Como já fiz leitura de vários textos seus, sinto um privilegio pessoal de poder mais uma vez ler esse também; excelente colocação das palavras, uma história que encanta; diria que deveria fazer parte da teledramaturgia, garanto que eu iria aplaudir com certeza.
    Abraço fraterno
    Nicinha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nicinha, o privilégio e todo meu e obrigada pela sua visita.
      Bjs. e volte sempre.


      Dilma

      Excluir
  3. Dilma estou seguir seu blog e gostaria de seguir através do Orkut mas o seu link não funciona.
    Bjinhos

    ResponderExcluir

Meu amigos no diHITT

Loading...