sábado, 15 de setembro de 2012

A boa professora

Dona Mafalda leciona em um colégio municipal, ela é uma verdadeira mãezona para os seus alunos, é considerada não apenas pelas crianças e sim também pelos educadores da escola municipal, uma das melhores professoras daquela escola, é calma, gentil, tem sempre uma palavra amiga para aqueles que a procuram em busca de socorro. Matemática, para alguns era um verdadeiro bicho de sete cabeças, porém dona Mafalda tinha um método simples de ensinar, que mesmo para aqueles que antes de serem alunos da boa professora, tinham dificuldade, agora sentiam prazer com a matéria conseguindo alcançar notas boas.
Na sala, onde os professores se reuniam quando Mafalda chegava, era cercada pelos outros professores querendo saber o seu segredo.
Mafalda ria com a insistência dos colegas e dizia que não tinha segredo nenhum, apenas tratava os seus alunos com carinho, da mesma forma que tratava seus filhos em casa.
 E continuava a boa professora sempre gentil, se explicando:
__ Porque criança é igual em todos os lugares, basta tratá-las com um pouco de atenção, carinho e respeito, mesmo aqueles que são mais levados, se você falar com eles olhando dentro dos seus olhos eles vão te ouvir, porque quando se olha nos olhos de uma criança você vê o seu íntimo e ela o seu, assim ambos saberão até onde podem ir.
Entretanto, entre todos os professores a mais desesperada era Geni, uma jovem recém contratada pelo município.
__ Há Mafalda, pra enfrentar essas crianças só mesmo uma madre Teresa de Calcutá, eu não sei como você consegue, meus alunos são umas pestes, não posso dar as costas para eles um segundo que põem fogo na sala de aula, já não sei o que fazer, sinto que a qualquer momento vou surtar! O que devo fazer,  minha amiga?
__ Não se atormente tanto Geni, procure ser mais amiga dos seus alunos, já se foi o tempo que se educava com mãos de ferros. Aconselhava a boa professora, a amiga chorosa.
Geni é uma professora nascida e criada no interior, muitas vezes é rígida e exigente com seus alunos, não que ela faça isso por mal, é que isso já vem de sua criação.
__ Mafalda! Se eu agir como amiguinha dessas crianças indisciplinadas, aí sim que eles não vão me respeitar.
__ Querida Geni, desde quando a amizade tira o respeito de alguém?
__ Mafalda! É que você não conhece os meus alunos, se eu der moleza pra eles, se eu bobear, é capaz de eu apanhar em sala de aula!
__ Que exagero Geni, são apenas crianças! Respondia a boa professora sorrindo calmamente.
__Você que pensa, quem me dera fosse exagero meu, eu tenho a pior classe desse colégio, são crianças hiper-ativas, agressivas, tira qualquer um do sério, quer tirar a prova, dá uma passadinha na minha classe, você vai ver como tenho razão.
 Terminado o intervalo do recreio as duas amigas se despedem, cada uma entra em sua sala de aula, Mafalda, pacientemente espera que todas as crianças se sentem em suas cadeiras, depois  convida os alunos a fazer uma oração, dessa forma ela os mantém em equilíbrio e mais calmos.
Assim que Mafalda termina de fazer as orações com seus alunos, ouve duas batidas na porta.
__ Então é esse o seu segredo, orações?
Mafalda, serena responde:
__ Oi Geni, entra, a oração realmente é um dos meus métodos, mas não é nenhum segredo, está a disposição de todos.
__ É, eu sei, também às vezes faço orações na minha classe, mas você acredita que até isso meus alunos causam confusões, porque uns são evangélicos, outros espíritas, outros do candomblé, terminando quase sempre em sérios conflitos.
A boa professora explica calmamente.
__ Aqui na minha classe não é diferente, tem crianças de todas as religiões, mas eu ensino que devemos respeitar todas as disciplinas religiosas, por isso, aqui cada um faz suas próprias orações intimamente do seu jeito, para que não ajam brigas, nem preconceitos. Explico também que todas as religiões que falam em nome de Deus são válidas, que o Deus é um só em todas as religiões, o mesmo Deus que criou os muçulmanos criou os católicos, os evangélicos, os espíritas, etc. Não existe um só Deus para cada religião, o que muda às vezes é o nome, uns chamam de Deus, outros de Jeová, outros de Alá e etc, o importante é que todos saibam que Deus é o nosso pai maior, porque ele criou todos os homens do mundo, o mesmo Deus que criou o sol, a lua e tudo que está a nossa volta, portanto somos todos irmãos, indiferentes de cor, raça, religião, rico ou pobre, pra isso Jesus Cristo nos foi enviado por nosso pai do céu pra ensinar os homens a amar uns aos outros. A religião não foi criada para separar o homem e sim unir religião é fé, esperança, confiança e segurança, é uma corrente que reuni toda humanidade em um só elo de amor, cada vez que elevamos os nossos pensamentos até Deus.
Geni estava emocionada diante das palavras da boa professora.
__ Mafalda! Muito obrigada pelos seus ensinamentos, vou já pra minha classe aplicar o que aprendi hoje aqui, a propósito amiga, vem comigo, quero te apresentar os meus alunos.
Mafalda acompanha a amiga e como já era esperado encontram a classe de ponta cabeça, Geni, nervosa começa a gritar.
__ Parem já com essa baderna! Voltem agora mesmo para os seus lugares, se não obedecerem vou dar zero pra todo mundo!
Mesmo diante da ameaça da professora os alunos não obedecem, nem sequer a ouviu, apesar de Geni estar aos berros.
A coordenadora de classe estava encolhida em um canto, vencida pela indisciplina dos alunos.
__ Calem a boca seus pestes! Vocês são as piores crianças do mundo!
Enquanto Geni brigava com os alunos pedindo que se comportassem, Mafalda eleva seus pensamentos ao pai celestial, orava silenciosamente, não demora muito todos se calam olhando intrigados pra aquela figura calma, serena, de mãos posta no meio da classe e um por um vão se sentar em seus lugares. Geni aproveita o minuto de silêncio para apresentar a amiga à classe.
__ Pessoal! Essa é a professora Mafalda, digam olá pra ela. E em coro, todos respondem:
__ OLÁ, PROFESSORA MAFALDA!!!!
__ Olá crianças! Eu só vou tomar um pouquinho do tempo de vocês, peço por gentileza que todos fechem os olhos e vamos juntos fazer uma oração.
Joãozinho levanta a mão e diz:
__ Professora Mafalda, eu não sei rezar!
__ Não tem importância, filho! A verdadeira oração é aquela que sai do coração, oração é uma conversa nossa com Deus que é o nosso pai que está no céu, roguem por vocês e por quem vocês amam, temos uma linha ligada direta com Deus, ele sempre nos ouvem e atendem todos os nossos pedidos, desde que seja o melhor para nós, a oração não precisa ser falada, vamos mentalmente ter uma conversa com Deus. Fechem os olhos e falem mentalmente com o papai do céu como vocês falam com os seus pais aqui da terra. Para entrar em sintonia com Deus não precisa de textos decorados, apenas deixe os seus corações falarem.
Logo, o silêncio se fez música dentro da sala, uma brisa leve e refrescante entra pela janela. As crianças, de olhinhos fechados, contritos, tinham o seu momento com Deus.
Geni estava impressionada, nunca tinha visto os seus alunos se comportarem daquela maneira, agora tinha entendido os seus alunos, não eram crianças más e sim crianças maus instruídas, a paz estava dentro deles o tempo todo, o que estava lhes faltando era bons exemplos.
A boa professora, silenciosamente deixa a sala percebendo que Geni também tinha se juntado aos seus alunos na oração.

Dilma Lourenço Moreira



OBS: Os mestres, hoje ensinam os caminhos das pedras aos meninos e meninas para que esses transformem ou recriem o mundo de amanhã.


Dedico essa história a todos os mestres com carinho. Vocês têm para sempre os nossos eternos agradecimentos!

Em especial as minhas irmãs, Urbanita, Lena, Dulce.





Um comentário:

Meu amigos no diHITT

Loading...