sábado, 11 de fevereiro de 2012

Qual o verdadeiro sentido da vida?




É nascer e renascer para sofrer?

Ou vida, é nascer e renascer para aprender a amar e a perdoar?

Hoje, quando saí pra caminhada coberta pelo crepúsculo da noite que vinha se aproximando, tive como companheira uma lua cheia e brilhante, no alto da serra, fazendo transbordar o meu íntimo de contentamento, diante do deslumbre da natureza.

Durante o percurso da caminhada ia encontrando uma galera já de meia idade sentados na calçada em suas cadeiras de praia, em volta da orla, se refrescando na brisa do mar. Uns, estavam em grupos alegres, festivos, falando de suas experiências. Outros, mais reservados sentados sozinhos, com os olhos sombrios, perdidos em seus pensamentos. Via-se com certa clareza nos semblantes sofridos dessas pessoas, que pareciam terem se fechado em copas, trancando em seus corações, as mágoas, as desilusões. Apesar da idade avançada, carregam na alma alguns casos ainda mal resolvidos, mesmo sabendo que aquela jornada está no fim, nada faz para sanar de vez a sua mágoa, acaba que desperdiça o pouco tempo que lhe resta se lamentando do tempo que passou, em vez de reagir, procurando reparar o mal que praticou, pedindo perdão a quem magoou, dando a chance ao inimigo de lhe pedir perdão, afinal, esse é o verdadeiro sentido da vida, amar para perdoar, se durante ao longo de sua vida não fez uso a esses dois conceitos. Sinto te dizer, desperdiçou o verdadeiro sentido de se viver.

Sentindo um carinho muito grande pelas aquelas pessoas continuei observando-os. Que benção poder chegar a essa idade, com saúde e melhor, de consciência tranqüila poder voltar o olhar para trás sem ter o arrependimento remoendo a alma.

Conheço algumas galeras mais jovens, que ainda tem muito o que aprenderem, que dizem não terem a menor paciência com esses valorosos viajantes do tempo, porque vivem mergulhados em nostalgias, por esses estarem sempre revivendo o passado, quando não estão depressivos com medo do fantasma da morte que está lhe avizinhando. Claro que todos sabem, que pra morrer não tem idade, estão cientes que o tempo de duração do corpo está no fim.

Hoje em dia, pelo tipo de vida estressante que levamos e a má alimentação, dá pra se contar nos dedos de uma só mão, os que alcançam os 90 anos de idade. Sabe que o tempo de duração do fluido vital que antes enchia o seu corpo de vigor, está se extinguindo. Somos como um aparelho eletro-doméstico, que tem um prazo de validade, mas enfim, o que é a morte, senão a continuação da vida! Não é mesmo?

Se eu conseguir chegar a idade de uma avó já vou ficar satisfeita, porque envelhecer  é um privilégio e saber envelhecer, idem, nada melhor que chegar aos 70, 80 anos de idade com a consciência tranqüila, poder relembrar o tempo que viveu, sem arrependimentos, sem máculas nenhuma em seu passado e quando enfim chegar a hora de partir em rumo a outra dimensão, seguir seu caminho em paz, com a consciência tranqüila, por ter tido mérito em sua missão , porque não tem nada melhor, que chegar a idade madura, em paz consigo mesmo, sem amargura, sem culpa ou arrependimento, de ter prejudicado o seu próximo.

Não é gostoso quando fazemos uma viagem terrena e tudo corre bem? Então mesmo assim é quando estamos encarnados na terra e voltamos com o dever cumprido. Sábio é aquele que faz o exercício da auto-crítica todas as noites antes de dormir, avaliando seus erros e acertos durante o dia, procurando no dia seguinte errar menos. Se fez algo de bom, continue fazendo. Agora, se você anda falando mal do seu vizinho, teve pensamentos ruins com sua sogra, pai, mãe, etc., ou praticou uma má conduta que vai prejudicar o seu próximo, procure evitar esses tipos de atitudes no dia seguinte e assim sucessivamente, procurando errar menos, se tornando uma pessoa melhor a cada dia, para não acarretar problema a si próprio, no futuro. Vigie seus pensamentos, sua conduta, para mais tarde não ser um idoso amargurado, infeliz, não tendo nada para se orgulhar, no alto de sua velhice. Isso sim que deve ser muito triste para um idoso, quando esse sente chegar ao fim do ciclo da vida, tendo fracassado como pessoa.

Mas, enfim ainda vives! Enquanto há vida, há esperança!

Quantos não tiveram a mesma sorte que você, morreram ainda na flor da juventude, acometidos por doenças, acidentes, sem tempo para repararem seus erros, por isso que digo, que envelhecer é um privilégio.

Se você é uma dessas pessoas que atravessaram a vida cometendo erros, aproveite o tempo que lhe resta, para se redimir. Voltar ao tempo, não pode, passar um borracha pra apagar o mal feito, também não, mas você ainda pode mudar suas atitudes a partir de agora, procurando ser uma pessoa melhor, corrija suas faltas, vá e peça perdão aos seus inimigos, ajude a erguer a quem você derrubou. Ficar amargurado em um canto, arrependido, enquanto a tua vida se esvai entre os vãos dos teus dedos, só achando que podia ter feito diferente, não vai te libertar da dor da culpa.

E quando enfim a força vital do teu corpo chegar ao fim, será tarde demais, amigo! Aí, só na próxima vida, isso se você tiver o merecimento, portanto, aproveite o agora, enquanto há vida!

E faça, um novo recomeço!


      Dilma Lourenço Moreira




2 comentários:

  1. Oi, Dilma! Penso que devemos sempre arriscar o novo, para não olharmos para trás com arrependimento por não termos feito algo. Viver a vida é um desafio a ser abraçado a cada dia. Ótimo texto, um abraço!

    ResponderExcluir
  2. Poxa, você escreve tão bem. To seguindo o seu blog. Quero ver suas postagens lindas e maravilhosas. Abraços !

    ResponderExcluir

Meu amigos no diHITT

Loading...