segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Retorno ao lar




A baleia Zuzú estava muito doente. O veterinário, entristecido dava a notícia para o diretor do aquário.

__ Eu sinto muito, mas a Zuzú não passa dessa noite, os seus pulmões estão muito infeccionados, não tem como recuperá-la, o melhor seria solta-la no alto mar para viver suas últimas horas em contato com o seu habitat.

O diretor do aquário, embora estivesse muito abalado, achou que Zuzú ia ficar feliz, afinal era o mínimo que podia fazer por muito que o animal tinha feito por ele. Durante muitos anos a baleia foi a atração principal daquele aquário, era justo ela ganhar a liberdade agora que estava morrendo, se pudesse falar, com certeza seria esse o seu último pedido, voltar para casa, para o convívio com seus.

E assim foi feito, o veterinário com a ajuda de um biólogo marinho, com muito cuidado devolveram a baleia ao mar, lugar de onde nunca deveria ter saído.

Os golfinhos prepararam uma grande recepção para recebê-la. Zuzú ficou muito emocionada revendo velhos amigos. Os leões marinhos gêmeos, Marcelo e Gaspar acompanharam-a até o seu antigo lar, mas a felicidade maior da baleia Zuzú foi poder abraçar Gabriel, o seu amado filhote. Quando ela foi capturada e levada para o convívio do homem, ele ainda era muito pequeno, um bebê, mas ela nunca esqueceu o olhar que trocaram na hora do adeus, foi um misto de decepção e abandono, fazendo cortar o coração da mamãe baleia.

Zuzú estava perdida em seus pensamentos, quando ouve alguém se aproximando. Quase que seu coração sai pela boca, reconhecendo naquele lindo animal, o seu filhote.

  __ Mamãe! Que bom que Deus ouviu as minhas preces, pedi tanto que lhe trouxessem de volta, finalmente ele me ouviu.

A baleia Zuzú, emocionada envolve seu filhote em um longo e carinhoso abraço.

__ Oi, meu amor! A mamãe também nunca te esqueceu, não deixei de pensar em nenhum segundo, em meu filhote querido!

Apesar do filhote não ver a mãe há alguns anos, sentiu que tinha algo de errado.

__ Mãe! A senhora está esquisita, parece abatida! A senhora está bem?

__ Sim! Eu estou bem, filho! É só cansaço da viagem, mesmo. Mente a baleia, para não estragar aquele momento mágico.

Gabriel, o filhote da baleia Zuzú, diante da resposta da mãe, respira aliviado voltando com um sorriso largo no rosto, mal podia acreditar que o seu sonho se concretizara, sua mãe estava de volta ao lar, agora sim, pensava Gabriel sorrindo de contentamento, ele era uma baleia completa, tinha muito orgulho da mãe, que era uma estrela de muito sucesso no mundo dos homens.

Desde pequeno ouvia seus avôs contarem histórias incríveis sobre a estrela do aquário. Zuzú arrastava milhões de pessoas para assistirem o seu show, todos ficavam encantados diante de sua performance, fazia passos de balé, malabarismo acompanhado de saltos mortais incríveis. Era considerada a maior baleia ginástica do mundo, mas para Gabriel, o melhor era ter a sua mãe de volta ao seu lado, no entanto o que o pobrezinho não sabia era que a mamãe baleia só ganhara a liberdade, porque estava morrendo.

Zuzú, depois da calorosa recepção de sua chegada aguardou o momento certo para ter uma conversa difícil com seus pais.

__ Pai, mãe! Aproveitando que o Biel foi brincar, preciso confessar uma coisa para vocês!

__ Fala logo, filha! Você está nos matando de aflição. Suplica a mãe de Zuzú, angustiada.

__ A razão de eu estar de volta, é que eu estou muito doente, estou desenganada pelos veterinários do aquário, que disseram que posso morrer a qualquer momento, sinto pelo Gabriel, sei que vocês já fizeram muito, cuidando dele todo esse tempo, mas em breve ele só vai poder contar com a proteção de vocês.

__ Calma, meu bem! Nem tudo está perdido! Não vamos entrar em desespero! Diz o pai de Zuzú, tentando acalmar a filha. Tenha fé em Deus e mantenha a chama da esperança firme em seu coração! Vamos pedir uma segunda opinião, a medicina no mundo aquático teve um avanço extraordinário, até melhor que no mundo dos homens. Lembra do doutor Liro, o nosso golfinho especialista em doenças crônicas, hoje ele é conhecido como o gênio da medicina. Passarei um chamado pelo rádio de emergência, para que venha te examinar.

Não demora muito, Gabriel entra em casa correndo assustado.

__ Vovó, vovô! Tem alguém doente aqui em casa? Por que o doutor Liro está ai fora, com uma mala cheia de injeções? Ele disse que foi chamado!

O pai de Zuzú faz o doutor Liro entrar.

__ Por favor, doutor, entre! Biel vá brincar lá fora, meu neto!

__ Não! Diz Biel fazendo birra. Só se você me disser por que chamaram o doutor Liro.

Doutor Liro, sempre de bom humor solta uma gargalhada.

__ Estou aqui para aplicar uma injeção em um filhotinho de baleia curioso!

Gabriel foge do abraço, do golfinho especialista.

__ Sem essa, doutor! Eu não estou doente! Vó avisa a minha mãe, que estou brincando aqui fora.

Doutor Liro solta uma gostosa gargalhada, acompanhando o filhote de baleia até a porta.

Quando os adultos se viram sós, Zuzú se dirige ao médico, apreensiva.

__ Doutor, o meu pai já lhe adiantou o meu problema?

__ Sim, em primeiro lugar peço que a senhora se mantenha calma, vou lhe examinar e ver o que posso fazer. Sou clínico geral e cientista e recentemente por coincidência foi descoberto em meu laboratório um antibiótico a base de algas marinha, que tem feito muita diferença na medicina, quem sabe está em minhas mãos, a sua cura!

__ Que Deus lhe ouça, doutor! Disse a mãe de Zuzú, chorosa.

 Depois disso se fez um longo silêncio na sala, com o doutor Liro examinando miciosamente a paciente, até que veio o triste diagnóstico. Com ar preocupado, disse o medico:

__ Dona Zuzú! Eu sinto muito, mas infelizmente a sua doença está muito avançada, a infecção afetou quase cem por cento de seus pulmões, temo ser tarde de mais, no entanto, como para Deus nada é impossível vamos começar imediatamente o procedimento com os antibióticos a base de algas. Tudo vai depender da reação do remédio em seu organismo, se o resultado for positivo, a senhora estará salva, é preciso ter fé!

E assim aconteceu, Zuzú passou dias lutando entre a vida e a morte, tudo que pedia era mais uma chance. Queria ficar mais um tempo com seu filhote. Quando tiraram ela do seu habitat, Gabriel tinha acabado de nascer no momento da emboscada, quando se viu enroscada na rede dos pescadores juntamente com seu filhote. Zuzú, bravamente lutou até conseguir fazer um furo na rede, empurrando o filhote para fora da armadilha, em seguida se pôs a fazer força na rede, se enroscando por inteiro dando trabalho pros pescadores, tirando a atenção deles de seu filhote até vê-lo salvo, enquanto que ela se deixava capturar.

Zuzú, em total delírio passava seus últimos dias assistindo sua vida passar, através da tela gigante mental que corria em sua memória. O doutor Liro não saía do lado de sua paciente, colocando todos os seus conhecimentos em prática, com a finalidade de salvar a enferma, até que um dia o esforço do médico teve êxito, a baleia Zuzú conseguiu vencer a infecção pulmonar. Não demorou muito, essa estava totalmente recuperada, passeando ao lado de seu filhote Gabriel.

A mamãe baleia, orgulhosa, estava duplamente feliz, primeiro, por ter escapado da morte e segundo, por estar de volta ao convívio familiar para sempre.



  

                                    Dilma Lourenço Moreira


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Meu amigos no diHITT

Loading...