sábado, 10 de março de 2012

Diga não as drogas





          Os alunos da professora Naná, ao entrarem na sala de aula encontraram o quadro negro lotado de lição, uns estranharam, outros sentaram e começaram logo a copiar o que estava escrito na lousa, passando para o caderno.

Joãozinho pergunta:
__ Professora Naná começou antes de nós, isso é castigo?
__ Não, Joãozinho! O livre arbítrio faz parte do nosso dia a dia, fazemos uso dele até para atravessar uma rua.
__ E o que é livre arbítrio, professora? Pergunta Aline.
__ Livre arbítrio é o poder de decisão concedido por Deus, ao homem de traçar o seu próprio destino, por exemplo: o direito de escolher entre o bem e o mal.
__ Isso quer dizer professora, que podemos escolher se queremos ser bons ou maus? Pergunta Raul.
__ Sim! Mas é preciso estar cientes que sofreremos conseqüências conforme as nossas escolhas, se decidirmos ser uma pessoa correta, integra, só teremos louvores, mas se a escolha for para o mal, derramarás lágrimas de sangue. Deus nos concedeu o livre arbítrio cabendo a cada um escolher o melhor para nós.
__ Olhem todos aqui para o quadro negro, livre arbítrio significa que temos o direito de decidir o que queremos para a nossa vida. Há dois tipos de escolhas a tomar, um virtuoso seguindo a trilha do bem, que conseqüentemente nos levará a felicidade.
__ Alguém aí pode me dar 3 exemplos, de qual é a atitude correta que devemos tomar para trilhar o caminho do bem?
Alice levanta a mão.
__ Eu sei professora, a senhora vive falando, obedecer nossos pais, falar sempre a verdade, amar o próximo como a si mesmo e acima de tudo, amar a Deus.
__ Muito bem Alice, essa é umas das maneiras corretas de usar o livre arbítrio, ou podemos decidir seguir o caminho do mal nos rebelando contra o mundo que nos levará a destruição. E agora, quem vai me dar exemplos de qual a maneira errada de usar o livre arbítrio!
__ Eu, professora!
__ Fala Junior!
__ Fazemos uso errado do livre arbítrio quando desobedecemos e faltamos com o respeito com os nossos pais, quando mentimos em vez de dizermos a verdade, roubar, ludibriar o próximo. Outro dia professora, um amigo meu da outra classe decidiu bolar aula pra ficar jogando bolinhas de gudes e justo nesse dia a professora dele passou exercícios pra notas, terminou que esse meu amigo fechou o bimestre com notas vermelhas por causa dessa travessura.
                     
__ É isso mesmo Junior, todo ato tem uma conseqüência, por isso tomem muito cuidado ao tomar uma decisão. Hoje, vocês ainda se encontram na custódia dos seus pais ou responsáveis, por não ter ainda maturidade para tomar decisões importantes em suas vidas. Deus, que é soberano e também nosso pai, não deixaria seus filhos no mundo, indefeso e assim sabiamente concedeu a tutela dos pequenos aos pais terrenos com o propósito de guiá-los pelo caminho do bem, ensinando o certo e o errado. Quando esses cometem algum tipo de travessuras são repreendidos por seus tutelados a não cometerem tal ato, cabendo aos filhos a obediência, porém a omissão dos pais diante dos erros dos filhos o tornam responsáveis pelo fracasso do caráter do mesmo, porém vai chegar um momento em suas vidas que vão precisar andar em cima de suas próprias pernas, fazer suas próprias escolhas sozinhos,  por isso devem ficar atentos as tentações  que vão surgir em seus caminhos. Quero que todos peguem o dicionário e procurem o significado da palavra droga, se alguém te oferecer drogas, cigarros ou bebidas com álcool, qual a atitude correta que vocês devem tomar?
Joãozinho se adianta.
__ Professora, eu vou dizer que não quero.
__ E por que não, Joãozinho?
__ Porque droga, cigarro, bebidas com álcool fazem mal a saúde.
__ Isso mesmo, Joãozinho! Qualquer tipo de droga, maconha, crack, álcool, é um vício perigoso que destrói, não só a vida do usuário, mas também de toda a família. É preciso que vocês fiquem atentos a estes tipos de situações. Uma hora ou outra vocês são testados com essas armadilhas. É preciso estar preparados pra dizer NÃO as drogas, muitos entram nesse vício ainda meninos, os pais em casa ensinam que não devem aceitar balas, doces de desconhecidos nas ruas, mas muitas vezes quem te oferece drogas e álcool pela primeira vez são pessoas bem próximas, que se dizem amigos, sendo assim, fiquem espertos com quem anda do teu lado. Muitos obstáculos terão de enfrentar, o melhor caminho é sempre ouvir os conselhos dos pais, filhos que obedecem a pai e mãe dificilmente entram nas drogas ou alcoolismo. São os seus pais os seus verdadeiros amigos, são eles as pessoas que mais te amam.
__ Professora! Diz Joãozinho todo empolgado, levantando o braço.
Achei o significado da palavra droga. É substância, entorpecente, alucinógena, usado em farmácias, tinturarias e medicamentos!!! O que é isso? Fiquei na mesma!!!
__ Muito bem, Joãozinho! Entorpecente é uma substância tóxica que entorpece, adormece o sistema nervoso e alucinógena substância que provoca alucinações, delírios, loucura. O efeito das drogas no organismo de uma pessoa causa distúrbios físicos chegando a interferir no funcionamento normal do cérebro.
Aninha pergunta:
__ Professora! Todo mundo que experimenta esta tal droga fica viciado?
__ Geralmente é assim que se começa, uma pessoa que se diz seu amigo te oferece à droga alegando que só um pouquinho não vai te fazer mal. Não caia nessa, garotada, isso é uma cilada que fatalmente te levará a ruína, qualquer quantidade de drogas que consumir vai te fazer mal, pior ainda se o teu organismo tiver boa aceitação com a química que está ingerindo, daí pra se tornar um viciado é um pulo, muito cuidado com as más companhias. Um amigo de verdade nunca que vai te oferecer bebidas com álcool ou drogas.
__ Professora Nana! Já ouvi dizer que quem não usa drogas é careta. Pergunta Paulo Ricardo.
__ Careta, na gíria se refere a uma pessoa quadrada, antiquada, pois em minha opinião, antiquado é quem se droga, ele está atrasando a sua evolução como pessoa, para cair em um poço sem fundo. A pessoa que se droga é um fraco, covarde, que tem medo de enfrentar a vida preferindo se anestesiar com álcool, drogas ou se entupir de soníferos, calmantes, etc.
Maria Alice pergunta, assustada:
__ A senhora disse sonífero? Mas esse remédio não serve para ajudar as pessoas que sofrem de insônia?
__ Sim! A maioria dos remédios vendidos em farmácias contém a substância de entorpecentes que são controlados pelos médicos, vendidos apenas com o receituário, mas corre o risco do organismo do paciente exigir dosagem cada vez maior, levando o paciente ficar dependente de alta dosagem da química, para adormecer. Melhor seria evitar esse tipo de medicação, procurando outras alternativas, se quiser se safar da dependência química, de laboratórios.
Joãozinho pergunta:
__ Professora! Aqui no dicionário diz que drogarias é o lugar que se vende drogas, deixa eu ver se entendi, tomar drogas controlada pelos médicos, pode ?
__ Joãozinho! O mesmo mal que mata, também ajuda a salvar, tem certas doenças que os médicos precisam fazer uso de entorpecentes, para chegar à cura nos pacientes; por exemplo: dopando esses, evitando que sintam dores, dessa forma diminuem os seus sofrimentos. Mas não é desse tipo de drogas que estou me referindo, não confunda drogas usadas em medicação, com um usuário de drogas que injeta o entorpecente na veia, esse é um infeliz, que se destrói voluntariamente. Começa com um cigarrinho de maconha, com o crack que aniquila todo tipo de classe social e quem ganha com isso é o traficante, que escolheu esse tipo de comércio pra ganhar a vida, enquanto crianças perdem a vida no vicio, é aí que entra o livre arbítrio, a escolha entre a destruição e a felicidade. Vocês devem sempre dizer não as drogas, álcool, cigarros e tudo o mais que for prejudicial à saúde. Não se rendam as tentações, vai ter sempre um falso amigo querendo te levar junto com ele para o fundo do poço, o caminho que seguir dependerá da sua escolha, nessa hora lembrem-se dos conselhos dos teus pais, escutem a voz do coração e sigam pelo caminho do bem, onde vão encontrar a paz e a felicidade.
__ Agora, vou contar para vocês a história de um menino que fez mal uso do livre arbítrio, escolhendo o caminho errado.
Certo dia, Sérgio estava no cinema quando encontrou um amigo de classe. O cinema estava vazio e esse chamou Sérgio pra se sentar ao lado dele. No desenrolar do filme esse amigo ofereceu uma pedrinha para Sérgio. De princípio, ele achou que fosse bala.
__ É bala de quê?
__ Não, seu bobo! É crack, põe na boca que você vai sentir o barato.
Sérgio, nessa hora não lembrou os conselhos dos pais e obedeceu ao falso amigo, de repente ele não sabia mais onde estava. A cabeça começou a girar, os monstros saíam da tela do cinema ganhando vida, fazendo roda a sua volta, o chão parecia se abrir embaixo de seus pés, sentindo o corpo hora adormecido, hora em chamas.
Perdido em delírio via seu corpo sendo picado por milhares de abelhas. Sérgio saiu do cinema sentindo sensações de vida e morte. Perambulou pela cidade, sem destino por algum tempo, não soube nem como chegou em casa.
No dia seguinte, na escola, ainda sobre o efeito do entorpecente, sentindo a cabeça pesada, encontra outra vez esse tal amigo.
__ E aí, Sérgio! Curtiu o barato?
__ Não sei não, cara! Ainda estou zonzo.
__ Então, toma mais uma, você vai se sentir melhor!
E ali mesmo, no pátio da escola, o suposto amigo põe nas mãos de Sérgio mais uma pedrinha de crack.
Desse dia em diante o menino conheceu o inferno. Era uma dor que alucinava, chegando a lhe rasgar as entranhas. Seus pais já não o reconheciam. Antes, um menino carinhoso, educado, agora tinha seu comportamento transformado, estava sempre agressivo, nervoso, agitado. Os pais, preocupados tentavam ajudar, querendo saber o que estava acontecendo com o menino. Esse, arredio não queria saber de conversa. Sérgio passou a roubar dinheiro e pequenos objetos de dentro de casa, até o seu violão ele vendeu pra comprar a droga, perdeu o interesse pelos estudos, nem banho ele tomava mais, passando a viver em total função dos entorpecentes. Ficou magro, com a saúde abalada, passava dias nas ruas. Quando vinha pra casa seus pais tentavam retê-lo no lar, ameaçando interná-lo outra vez. Não foi uma, nem duas vezes que os pais de Sérgio, quando ele sumia de casa saiam a sua procura. Quase sempre o encontrava jogado nas calçadas, alheio ao que acontecia a sua volta, um verdadeiro farrapo humano e o levavam direto para a clínica de dependentes químicos, de onde ele sempre dava um jeito de fugir, deixando pai, mãe e irmãos, desesperados. Nada o que a família fazia para ajudar o garoto, adiantava. Não podiam ir contra sua vontade, as drogas era mais forte que o menino. A família, antes harmoniosa, estava em pé de guerra, sofrendo, assistindo o filho querido se destruindo nas drogas, sem nada poder fazer.
__ Bem, caros alunos! Diz a professora Naná, com a voz embargada pela emoção.
__ Não preciso nem dizer que o fim do menino Sérgio foi trágico, porque escolheu o caminho errado, sem contar com o rombo na família, causado pelo sofrimento, pela dor. Pai que acusa mãe, mãe que acusa pai pelo acontecido. A família nessa hora precisa ser forte, ter união, senão acaba se destruindo junto com o viciado. O dependente químico precisa do alicerce da família para se erguer, senão termina sucumbindo, se perdendo de vez pras drogas.
Quando a professora Nana terminou de falar, os alunos ficaram um tempo em silêncio, pensativos, penalizados com o destino de Sérgio.
 Marina diz, chorando:
__ Que história triste, professora!
__ Infelizmente, Marina, não é uma história, é a realidade de quem diz sim pras drogas.
A professora, aproveitando o momento de reflexão dos alunos, pergunta:
__ Então, crianças! Alguém aí quer seguir o mesmo caminho de Sérgio?
A classe, em coro, respondeu:
__ NÃO!!!
__ Muito bem, crianças! Digam sempre NÃO as drogas. Obedeçam a papai e mamãe. Sigam sempre os seus conselhos, fiquem sempre bem longe de pessoas más intencionadas. Quem te oferece drogas, não é seu amigo! Ouvindo e seguindo as pessoas que nos amam, nunca vamos precisar de drogas!
Joãozinho, com ar de inocente, diz:
__ Só quando a gente ficar doente, não é professora?
__ É Joãozinho! O melhor mesmo seria que o povo se conscientizasse do mal que esse tipo de medicamentos faz em nosso organismo. O melhor seria que procurássemos uma medicina menos nociva, exterminando de vez essa maldita droga, da face da terra!   
                             
                                    Dilma Lourenço Moreira

   
                  
             

            

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Meu amigos no diHITT

Loading...